BULGÁRIA

Viajar na Bulgária: Um Roteiro de 10 Dias Incríveis

Homem contemplando os Sete Lagos de Rila na Bulgaria

A Bulgária é um dos países mais antigos da Europa, mas também um dos menos explorados. Desconhecíamos os tesouros escondidos neste país, até que encontramos uns voos baratos para Sófia! Após uma breve pesquisa apercebemo-nos logo que a Bulgária estava cheia de maravilhas: desde praias encantadoras, as suas infindáveis montanhas e os campos de girassóis sem fim! Foi fácil clicar para comprar os voos e começar logo a planear o que fazer em 10 dias a viajar na Bulgária. Venham conhecer o nosso roteiro!

Dia 0: Chegar a Sófia

A viagem de 2752 km entre Lisboa e Sofia durou de manhã à noite devido à escala em Frankfurt. Felizmente os nossos voos com a Lufthansa foram bastante confortáveis, chegaram a tempo e a comida a bordo é sempre bem vinda. Por norma, viajamos em companhias aéreas de baixo custo, por isso ficamos contentes até com umas sandes mal recheadas! Uma vez que a nossa escala em Frankfurt foi bastante longa, aproveitamos para explorar um pouco a cidade e ver os seus principais monumentos.

Chegamos exaustos a Sófia, pelo que optamos por apanhar um táxi. No geral, são bastante baratos mas tenham cuidado para usar uma empresa de confiança! Na primeira noite o cansaço era tal que nem saímos para jantar, e simplesmente acabamos por ficar a descansar no hotel. Optamos por ficar no St. George Hotel, a escolha certa se procuram um alojamento com localização central e quartos privados confortáveis e espaçosos. Existem opções mais baratas, mas acaba por ficar bastante em conta tendo em conta os preços no resto da Europa.

Dia 1: Sófia

O nosso primeiro dia completo a viajar na Bulgária foi passado em Sófia, onde exploramos as zonas mais turísticas como a Catedral Alexander Nevski e também a zona de Serdika. A rua principal, Vitosha, está sempre repleta de gente e de cafés maravilhosos. Dela podem também contemplar uma vista para a montanha próxima que dá o nome à rua. Apesar das previsões meteorológicas de chuva e frio, fomos prendados com apenas alguma trovoada e bastante calor, calor este que se iria manter durante o resto da nossa viagem.

A bela Catedral de Alexander Nevski em Sofia, Bulgaria
Rui a caminhar pela praça Largo em Sofia, Bulgaria
Ruínas e Mesquita perto de Serdika em Sofia, Bulgaria
Praça Largo perto de Serdica em Sofia, Bulgaria

Dia 2: A Caminho da Costa do Mar Negro

O nosso segundo dia foi passado literalmente a viajar na Bulgária. Voltamos ao aeroporto, desta vez utilizando o sistema de metro, que funciona muito bem. O destino? Burgas, na costa do Mar Negro. Durante o planeamento foi bastante complicado decidir entre fazer esta viagem de avião ou autocarro, e como já perceberam optamos pelo avião para poupar algum tempo. No entanto, acabamos por demorar muito mais do que o previsto! O nosso voo com a Bulgaria Air atrasou bastante em Sófia e para piorar, fizemos uma longa paragem em Varna para recolher passageiros. Uma vez que a Bulgária ainda aguarda a implementação do Acordo de Schengen, ficamos ainda cerca de uma hora numa fila para verificarem os nossos documentos. Por fim, mais outra hora no táxi a caminho do nosso resort em Aheloy. Sim, íamos a caminho dos nossos dias de descanso, mas tudo começou de forma bastante atribulada… No meio de tudo isto, a memória mais positiva desse dia foi mesmo o chocolate que ofereceram no avião e o nosso jantar no hotel!

Dia 3: Aheloy

Pela primeira vez nas nossas viagens decidimos investir em três noites para relaxar num resort, o Vineyards Hotel. Por norma, queremos sempre explorar ao máximo, mas precisávamos mesmo de uns dias de descanso! Contudo, só o 3º dia da nossa viagem é que foi totalmente usado para relaxar junto à piscina e aproveitar para comer parlenka (um pão tradicional búlgaro, no qual ainda não conseguimos parar de pensar).

O hotel tinha bastante potencial, no entanto, não foi a experiência “semi-luxuosa” que estávamos a espera. Alguns problemas foram surgindo, começando pela dificuldade de obter informação sobre zonas para visitar perto do hotel, uma vez que o staff não estava preparado para fornecer informação útil. Acabou também por ser uma experiência cara, pelo menos para os nossos bolsos! Cometemos a loucura de reservar um Suíte Executiva, e ainda tivemos que acrescentar os custos de transporte associados a estarmos no meio de nenhures. A suíte era certamente enorme (maior que a nossa casa!) e tinha ainda algumas regalias bastante apetecíveis, tais como uma piscina “semi-privada” que era apenas partilhada com outras cinco suítes (e só uma sem contar com a nossa é que estava ocupada). Olhando para trás, devíamos ter optado por um quarto mais em conta.  A piscina normal do hotel era também bastante agradável e que nunca estava cheia. Independentemente, nunca nos vamos esquecer desta experiência!

Vista do nosso quarto em Aheloy, Bulgaria

Zona de descanso no resort em Aheloy, Bulgaria
Piscina do Resort em Aheloy, Bulgaria

Dia 4: Nessebar

Uma das razões que nos levou a decidir ficar em Aheloy foi o facto de estar relativamente perto de Nessebar. Apesar das dificuldades de transporte, conseguimos visitar Nessebar no 4º dia da nossa viagem usando transportes públicos. Sim, pode-se dizer que é um pouco uma armadilha para turistas e (pelo menos) no Verão a rua principal fica completamente cheia! Contudo, se explorarmos as ruas transversais, são muitas as que se encontram quase vazias. Esta pequena cidade é encantadora e tem imenso para explorar: a sua arquitetura é única e o número de igrejas que aqui se encontra é perto de infinito. Para melhorar, o marisco é bastante bom (para quem gosta claro!) e a um preço imbatível, pronto a ser desfrutado com vistas maravilhosas para o Mar Negro.

Restaurante com vista para o Mar Negro em Nessebar, Bulgaria

Pequena encantadora rua em Nessebar, Bulgaria
Maria em Nessebar, Bulgaria
Pôr do Sol sobre os campos de girassóis na Bulgaria

Dia 5 e 6: Veliko Tarnovo

Chegando ao meio da nossa viagem, o 5º dia foi mais um dia de viagem, desta vez em direção a Veliko Tarnovo. Para nos deslocarmos optamos desta vez por ir de autocarro usando a companhia Alex Ok que nos levou de forma bastante confortável até ao nosso destino. A viagem foi deslumbrante, com vistas incríveis para as montanhas e para os campos de girassóis. Perto de Veliko Tarnovo, as vistas tornam-se mais verdes ainda, com uma cidade rodeada de montes. Viajar na Bulgária não seria o mesmo sem todas estas vistas maravilhosas.

Ficamos alojados duas noites no Hostel Mostel (bastante famoso entre mochileiros). O hostel é confortável, muito bem localizado e a um preço bastante simpático para recuperar da nossa loucura em Aheloy. Tivemos apenas um dia completo em Veliko Tarnovo, o que foi suficiente para explorar as zonas principais, mas que soube a pouco. Para além do verde sem fim, há uma tranquilidade que caracteriza a cidade, e que não conseguimos passar para palavras. Para além disso, poderíamos passar uma semana a explorar a principal atração, o Forte Tsarevets. Sim, íamos passar 90% do tempo  a fingir que estávamos na série Game of Thrones.

Rui no Forte Tsavarets em Veliko Tarnovo, Bulgaria
Montes verdes em Veliko Tarnovo, Bulgaria
Vista para a Igreja Martyrs em Veliko Tarnovo, Bulgaria
Casas no monte em Veliko Tarnovo, Bulgaria

Dia 7 e 8: Sófia

Regressamos à capital de autocarro, através da companhia Biomet. Apesar de se ter atrasado um pouco, o autocarro era bastante confortável e moderno. O 8º dia foi passado em Sófia, nomeadamente no Museu de Arte Socialista (que pelos vistos tem diversos nomes diferentes, portanto se já ouviram ser chamado de outra forma não se espantem). Este museu vale uma visita por toda a sua peculiaridade, ideal para quem adora história e museus, mas igualmente fantástico para quem não gosta destas coisas, uma vez que não é de todo um museu tradicional. Na verdade, funciona mais como uma galeria.

Rui em frente de uma estátua no Museu de Arte Socialista em Sofia, BulgariaEstátua de dois jovens trabalhadores no Museu de Arte Socialista em Sofia, BulgariaVárias estatuas no Museu de Arte Socialista em Sofia, Bulgaria

Dia 9: Sete Lagos de Rila

O 9º dia foi o que verdadeiramente nos deixou sem fôlego (tanto literalmente como figurativamente) da nossa viagem! Quando decidimos visitar a Bulgária, este era o destino obrigatório que sabíamos que tinha mesmo que fazer parte do nosso roteiro. Não podia mesmo faltar uma caminhada pelas montanhas de Rila para ver os incríveis Sete Lagos de Rila. Existem transportes públicos para este local, mas é muito impossível ir e voltar no mesmo dia de Sófia. Por essa razão optamos pelo Rila Shuttle e ficamos muito satisfeitos. Fizemos uma viagem confortável até ao início do trilho e retornamos a Sofia por um preço bastante razoável. Foi a primeira vez que sentimos os efeitos de estar em zonas de grande altitude, e provavelmente a nossa primeira verdadeira experiência de montanha juntos. Sabemos que não foi algo assim tão aventureiro, mas quando chegamos lá cima (onde nem toda a gente se dá ao trabalho chegar), sentimo-nos como verdadeiros exploradores.

Lago "Rim" nas Montanhas dos Sete Lagos de Rila na Bulgaria
Um dos Sete Lagos de Rila na Bulgaria
Carrinha vintage nos Sete Lagos de Rila na Bulgaria
Maria olhando sobre os Lagos de Rila na Bulgaria

Dia 10: Último dia em Sófia

Escusado será dizer que acordámos no dia seguinte completamente de rastos e também com uns escaldões valentes. O frio que se faz sentir no topo da montanha, e o gelo que ainda se vê, fez-nos esquecer da importância de voltar a colocar protetor solar – não cometam o mesmo erro!

Ainda assim, este era o nosso último dia na Bulgária, por isso, depois de uma passagem na farmácia (um creme para as queimaduras foi o nosso melhor amigo), aproveitámos para explorar um pouco mais a cidade. O dia foi quase todo passado no Palácio Nacional da Cultura (NDK) e a aproveitar as fantásticas vistas do telhado do Sense Hotel Sofia. Uma vez que o nosso voo na manhã seguinte seria bastante cedo, optámos por ficar a dormir um pouco mais perto do aeroporto, no Ibis Sofia Airport. No aeroporto, fomos recebidos por um nascer do sol mágico sobre as montanhas – as fotos não lhe fazem justiça!

Edifício NDK em Sofia, Bulgaria
Criança a andar de bicicleta em Sofia, Bulgaria
Jardim perto do NDK em Sofia, Bulgaria
Nascer do dia sobre as montanhas no aeroporto de Sofia, Bulgaria

Viajar na Bulgária: Pensamentos Finais

Viajar na Bulgária foi uma experiência muito mais simples do que o que tínhamos antecipado. Os transportes que utilizámos eram confortáveis e conseguimos reservar tudo online, que é a nossa preferência pessoal. Tirando alguns atrasos, que também são comuns em Portugal, não há muito mais a mencionar. Para quem viaja de carro a experiência pode ser um tanto diferente, mas a verdade é que é possível passear muito usando apenas transportes públicos.

Olhando para trás e para este roteiro, a única coisa que consideraríamos alterar seria os nossos dias em Aheloy. Por um lado, foi uma experiência única e, mesmo com os problemas que mencionamos antes, bastante relaxante. Por outro, acabou por ser muito mais cara do que o necessário. Para além disso, se quiserem viajar para a costa, considerem primeiro as camionetas e os comboios.

Há imenso para explorar na Bulgária, pelo que faltaram muitos sítios ao nosso roteiro: a montanha de Vitosha, Plovdiv, o Mosteiro de Rila e o monumento de Buzludzha – apenas para mencionar alguns! Infelizmente não conseguimos encaixar estas atrações no nosso itinerário, mas estarão com certeza no topo da nossa lista de prioridades quando voltarmos a visitar a Bulgária. 

Então e vocês? Já visitaram a Bulgária? Como passaram os vossos dias neste país maravilhoso?

Façam pin deste post!

Viajar na Bulgária é uma opção fantástica que muitas pessoas continuam sem conhecer. O país é maravilhoso e recheado de magníficos tesouros. Passámos 10 dias inesquecíveis no país e partilhamos tudo convosco neste artigo!
Viajar na Bulgária é uma opção fantástica que muitas pessoas continuam sem conhecer. O país é maravilhoso e recheado de magníficos tesouros. Passámos 10 dias inesquecíveis no país e partilhamos tudo convosco neste artigo!

 

GuardarGuardar

GuardarGuardarGuardarGuardarGuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardarGuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

GuardarGuardar

Posts sugeridos para ti

2 Comentários

  • Filipe Morato Gomes

    Ora aí está um país que tenho de conhecer em breve. Não conseguiram mesmo ir ao Mosteiro de Rila? É dos locais que mais me fascina na Bulgária, mesmo antes de la ter ido 🙂
    Bom, queria mesmo era agradecer esta vossa partilha. Grande abraço e boas viagens.

    Outubro 5, 2018 at 8:21 am Resposta
    • Two Find a Way

      Queremos muito voltar para visitar o que faltou, nomeadamente o Mosteiro de Rila. Tínhamos a hipótese de ver os lagos de Rila e o mosteiro no mesmo dia, mas ia ser tão pouco tempo em cada um que acabamos por optar pelos Lagos, com mais tempo. Temos a certeza que vamos voltar à Bulgária, dez dias não chegaram! Muito agradecemos o comentário Filipe 😊

      Novembro 6, 2018 at 6:12 pm Resposta

    Deixa um comentário

    Copyrighted Image